sexta-feira, 25 de julho de 2014

Chegou o momento tão esperado.
Finalmente juntos, para sempre ... Será mesmo?
Estamos nos tornando uma só carne, um só anseio, uma só vida. Mas, será que é isso mesmo que acontece na prática? Afinal de contas cada um sai de sua casa, de sua zona de conforto no aconchego da família e, juntos, vão construir uma nova vida; uma nova família começa a surgir.
Só que cada um leva dentro de si uma escala de valores que, na maioria das vezes, não condiz com à do outro. E aí como conciliar essas diferenças? Diferenças que devem ser aceitas como tal e, como tal, serem ajustadas ao longo do percurso.
É muito comum, principalmente no início do casamento, os cônjuges discutirem por coisas sem a menor importância. É uma espécie de jogo de poder, de autoridade.Só há um meio de conciliar certas situações, às vezes muito conflitantes: o caminho é pela aceitação.
Procure ver no outro aspectos positivos. Valorize esses aspectos. Procure se interessar de maneira sincera, pelo que aflige o outro; como vai o seu trabalho; quais são seus sonhos e desejos. É de fundamental importância que o casal tenha sonhos e desejos em comum. Interaja um com outro. Dê aquele "presente surpresa". Um mimo, não custa caro e rende muito dividendos no recôndito do amor.
Não seja que nem o piruá, que é o milho da pipoca que não quer estourar, não quer oferecer algo que pode mudar a relação do casal.Não seja egoísta. Abra-se como uma pipoca, quente e saborosa e que não pede nada em troca. A doação é muito importante.
Apegue-se ao seu cônjuge com muito amor e carinho. Certamente um dia você disse que ele(a) era a pessoa mais importante em sua vida. Emir Tavares

Nenhum comentário:

Postar um comentário