quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A SÍNDROME DO MANÁ


..."Dar-se-á que, ao sexto dia, prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia.
Então, disse Moisés e Arão a todos os filhos de Israel : à tarde, sabereis que foi o Senhor quem vos tirou da terra do Egito.
À tarde, subiram codornizes cobriram o arraial; pela manhã, jazia o orvalho ao redor do arraial..." (Ex 16:5-6;13).

Depois de muita murmuração do povo que pensava que iria morrer de fome e ficar enterrado naquele deserto, o Senhor depois de os ter provado para que soubessem que ele é Deus e que cumpre suas promessas, manda descer do céu pela manhã como um orvalho o "break-fast" para aquele povo. Que break-fast maravilhoso e que durou quarenta anos. Cada dia tinha um sabor especial, divino, vindo diretamente dos céus. Mas isso não bastava. Queriam mais, muito mais. Então pela tardinha, através de um vento direcionado pelo Senhor, o arraial é tomado pelas codornizes. O maná dava para todo mundo e só havia uma restrição: ao sexto dia é para colherem o dobro para que ninguém o fizesse no sábado. Interessante que quem colhia muito e quem colhia pouco, para todos havia fartura. Mas, para que confiar em Deus? Vamos colher além sem cozinhar ou no forno ou em água o excedente para o dia seguinte, conforme instrução do Senhor.
O resultado é que esse maná cheirava mal e criava bichos. E não adiantava nada ir ao campo, pois no sábado não iriam encontrar nada. Isso é o fruto da desobediência: falência moral, espiritual e material.
Assim é o que acontece ao povo - de ontem e de hoje -  que não acredita na provisão do Senhor. Vai encontrar bichos podres, mal cheirosos, exatamente  na medida de sua ganância e da sua incredulidade.
Eu quero comer. Eu quero é comer mais. Eu quero. Eu quero. Eu quero. Crianças mimadas e esfaimadas. Então coma e exponha nos próprios dentes - para que todo mundo veja - a carne que exibe seu ridículo diante de Deus e dos homens.
Tem muita gente hoje em dia comendo alimento estragado e expondo nos dentes seu voraz apetite: apetite carnal, apetite dos prazeres mundanos; apetite do sexo desenfreado a qualquer custo e não importa com quem; apetite da indiferença e do desamor. É cada um por si. E nada de Deus por todos.
 Com isso os valores vão descendo ladeira abaixo. Só que lá embaixo chega-se ao sopé. Não tem mais para onde ir. Não tem mais para onde descer. Ou reconhece que chegou ao fundo do poço e quer mudanças, ou responderá por seus atos. É momento de reflexão. O que estou ganhando com isso; não só para comigo mesmo, mas principalmente para minha família e sociedade. Com que estou contribuindo?
A segunda geração do povo de Deus chega à Canaã e agora o maná cessa. Acabou a festa. Vocês não vão repetir o erro dos seus pais. Que cada um cumpra com suas responsabilidades. Vocês chegaram ao destino, tal qual como prometi. É hora de assumirem suas faltas. Agora vocês vão colher o fruto de suas mãos. Estarei sempre com vocês, orientando-os, guiando-os pelas mãos e tratando-os como filhos queridos.
Não permitamos que as vantagens aparentes desse mundo em trevas nos leve a um prejuízo real.
Lutemos por aquilo que queremos com serenidade e acreditando que o Senhor está conosco.
Deixemos de lado os escapismos, desfrutando do "melhor dessa terra". Com o Senhor. Sempre!
Com carinho;
Rev Emir Tavares

3 comentários:

  1. Pastor Emir,saudaçoes...

    Va em meu blog reginaesposito.blogspot.com e veja o que fiz...
    Parabens por suas postagens ...sempre vejo...
    indico a amigos...sucessos e Deus o abençoe cada dia mais..
    Regina Esposito

    ResponderExcluir